Amor sem Escalas – 2009

Posted on Posted in Drama, recomendo, resenha, Romance

Pôster: Amor sem Escalas
Amor sem Escalas

Por que assistir a Amor sem Escalas? Porque você passou dos 40 e as comédias românticas com atores de 25 não fazem mais parte da sua realidade. Porque você quer entretenimento com o mínimo de bom-gosto e diálogos interessantes.

Título Original: Up in the Air

Se você vive nos aviões e não pegou esse filme numa pré-estréia entre Omaha e Chicago, saiba que: Amor sem Escalas fala do solteirão sem fronteiras, vivido por Clooney, que trabalha 24 horas por dia 7 dias por semana, viajando para despedir pessoas.

Tá, e o filme? Nas últimas décadas, um novo tipo de filme surgiu, os filmes de entretenimento 40+, comédias um pouco mais inteligentes – e menos cômicas -, para o público acima dos quarenta que tenta se adaptar às regras do novo milênio, lidando com o reinício da vida, com o fato de foram consumidos pelo trabalho e tantas outras coisas que eu só vou entender completamente quando chegar lá.

Uma forma válida do cinema de cativar esse público e com os melhores intenções – além de fazer muito dinheiro-, mas que nem sempre é bem realizado. Alguns desses filmes acabam sendo chatos para o grande público e deprimentes para os 40+.  Amor sem Escalas escapa disso por muito pouco. Começa muito bem, Clonney no aeroporto é uma cena brilhante que faz você esperar grandes coisas, ou pelos menos, humor. Os diálogos durante todo o filme são muito bem escritos e te fazem se envolver com os personagens.

A história, no entanto, é um tanto depressiva. Clooney é um solteirão por escolha, seu grande – e até onde se sabe único – objetivo é conseguir 10 milhões de milhas. Qualquer pessoa com um conhecimento mínimo sobre construção de personagem, ou a humanidade, sabe que isso não vai satisfazê-lo. A quem não sabe, está lá Vera Farmiga, para informar. O romance casual entre os dois ocupa boa parte do filme, mas é mais sobre a jornada do que o destino. Afinal não há realmente um destino quando se trata do romance de dois viajantes por profissão.

Vale a pipoca? Se você já passou dos 40 ou aprecia bom diálogos, sim, mas a verdade é que esse filme podia ser melhor sob direção de alguém como Sofia Coppola, que saber transformar o mundano em poesia com uma câmera.

O que eu aprendi com Amor sem Escalas?

– Garotos são como cães, sempre mijando nas coisas para deixar sua marca.
– Homens que ficam em dúvidas sobre o casamento na última hora, podem ser convencidos a continuar por qualquer um. Mesmo.
– Não coloque todo mundo que você conhece/ama dentro de uma mochila e toque fogo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *